PT | EN

iA


Thelma & Louise – O percurso dos signos sociais

by Luiza Azancot. Average Reading Time: about 9 minutes.

Este artigo foi publicado no Jornal 4 Estações n° 5 da ASPAS a 1 de julho de 2013

A astrologia explica o porquê dos nossos gostos literários, estéticos e cinematográficos. Gostamos daquilo com que nos identificamos a nível psicológico simbolizado pelo tema astral de cada um. As casas 5, 6, 7 e 8 são as mais importantes do meu tema e tenho o asteróide Palas Atena conjunto ao meio do céu. Por isso não admira que “Thelma & Louise” seja um dos meus filmes preferidos. Trata da parte social do zodíaco e as suas heroínas são mulheres lutadoras que não se rendem. Como astróloga a noção de percurso é intrínseca ao meu trabalho e como mulher sinto-me mais próxima das heroínas que dos heróis sobretudo as que se confrontam com temas difíceis, polémicos que a sociedade tem dificuldade em digerir.

Road movies e os signos sociais

“Thelma & Louise” insere-se no género cinematográfico road movies. Outros filmes famosos do mesmo género são “A ultrapassagem”, “Easy Rider”, “Rain Man” e mais recentemente “Little Miss Sunshine”. Se a “Odisseia” fosse um filme entrava nesta categoria. Em todas estas histórias os protagonistas deixam a suas casas e através das situações ou pessoas que encontram durante a viagem, mudam irremediavelmente as suas vidas. Quando chegam ao fim da viagem não são os mesmos pois a distancia percorrida não foi só física, foi sobretudo psicológica.

Em termos astrológicos “Thelma & Louise” têm como pano de fundo o arquétipo 8 nas suas várias dimensões incluindo a da violência sexual. Mas não se limita a este arquétipo pois as heroínas durante a sua viagem seguem o percurso dos signos sociais de Leão a Escorpião, iniciado com leveza e terminando numa dramática união de destinos.

Os signos do zodíaco por orientação dividem-se em Pessoais, Sociais e Universais. Os quatro primeiros, têm como foco eu, os meus impulsos, os meus prazeres, os meus interesses, as minhas ligações emocionais. Nos quatro seguintes descobrimos o nós, a interdependência, o interesse mútuo, a reciprocidade. Em Leão divertimo-nos um com o outro, em Virgem aprendemos a resolver problemas, em Balança a funcionar como casal e em Escorpião estamos juntos a enfrentar as crises e a cumprir compromissos. Nos quatro últimos, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes o foco giro para temas de interesse coletivo.

Apesar de Thelma e Louise não serem o casal clássico, nem haver nenhum indício de atracção sexual entre elas, a sua viagem ilustra o percurso de um verdadeiro casal através dos signos sociais.

posterUm sucesso junto da crítica e do público, “Thelma & Louise” é um filme de 1991 produzido e realizado por Ridley Scott, escrito magistralmente por Callie Khouri que recebeu o Óscar pelo melhor guião original.

As duas heroínas são protagonizadas por Geena Davies e Susan Sarandon, ambas candidatas ao prémio máximo da Academia do Cinema. Harvey Keitel é perfeito no seu papel de polícia e Brad Pitt aparece talvez pela primeira vez numa cena de onde se revela o sex symbol que grande público veio a apreciar.

Como nos outros road movies o veículo tem sempre um papel importante. O carro de Louise é um Ford Thunderbird de 1966, um automóvel mítico do imaginário americano. Já era um clássico na altura em que o filme foi feito, é o automóvel para os grandes espaços produzido numa época em que o aspeto estético era privilegiado. Quem guia um Thunderbird é cool.  Sincronicamente em 1991, Marc Cohn dedica-lhe uma cancão cuja letra expressa a admiração, a consideração inigualável e a americanidade daquele automóvel. Também gosto da feminização de Deus.

“Don’t gimme no Buick 
Son you must take my word 
If there’s a God in heaven 
She’s got a Silver Thunderbird

You can keep your Eldorados 
And the foreign car’s absurd 
Me I want to go down 
In a Silver Thunderbird”  

totalidade  da canção  em http://www.youtube.com/watch?v=9MkgmlAQPxo

 

automovel

A viagem de Thelma e Louise

Thelma é uma dona de casa que aceita passivamente ser maltratada por um marido controlador, machista e egocêntrico. Louise empregada num restaurante, é aparentemente forte, organizada e segura de si mas esconde uma fragilidade proveniente de um trauma crítico para o desenvolvimento da ação. O filme começa em pleno arquétipo 5. Estamos no Verão e as duas amigas preparam-se para umas mini férias na montanha, com boa disposição, óculos de sol e canas de pescas na bagagem. Como adolescentes escapam, Thelma do marido que não lhe liga e Louise dum emprego monótono e de um namorado sempre ausente. Vão mudar de ares, divertir-se na companhia uma da outra, gozar a viagem no Thunderbird descapotável, o símbolo a sua liberdade. Thelma que nunca vai a parte nenhuma com o marido pede a Louise para pararem num bar, para beber uns copos e dançar. “I never get to do stuff like this. Afinal de contas estão em férias e querem divertir-se.

Aqui o arquétipo 5 acaba. Thelma bebe demais e o homem com quem tinha estado a dançar tenta violá-la. Louise defende a amiga, perde a cabeça e dominada por um trauma anterior não ultrapassado, mata o homem a tiro. Perante a enormidade do acontecimento as duas amigas tentam raciocinar, analisar a situação e decidem fugir para o México juntas. Entram numa dinâmica de arquétipo 6.

O lado analítico de Mercúrio fê-las examinar friamente a situação e encontrar uma solução. Mas para uma boa compreensão do arquétipo 6 entendo ser necessário introduzir a Ceres mítica. Ceres era deusa que velava sobre a alimentação da humanidade, a protetora que apesar de tudo não consegue evitar o rapto da sua filha Perséfone. Thelma e Louise desempenham o papel de Ceres em alternância. Quando uma faz uma asneira a outra ajuda, mesmo que tenha uma reacção inicial de irritação. Precisam de resolver o problema da falta de dinheiro. Louise pede ao seu namorado que lhe mande as suas poupanças mas enquanto está a despedir-se dele, Thelma, crédula e encantada por ter passado uma noite de prazer com o ladrãozito sexy desempenhado por Brad Pitt deixe que este lhes roube o dinheiro. Louise fica desesperada mas Thelma larga a sua postura infantil e resolve o problema assaltando uma loja de conveniência. Mais tarde no Arizona quando são mandadas parar por um polícia, perante a resignação de Louise em terem sido apanhadas, Thelma toma conta da situação e acaba por engenhosamente trancar o polícia no porta-bagagem do seu veículo.

signos sociais

 

Enquanto aprendem a funcionar juntas, a resolver os seus problemas e à medida que as infracções à lei continuam, as relações entre elas estreitam-se. Normalmente as relações entre amigas não são consideradas como pertencendo ao arquétipo 7. Mas numa perspectiva psicológica, sobretudo para as mulheres que tem uma melhor amiga e sabem do que estou a falar, não há duvida que essas relações de amizade profunda estão sob o arquétipo 7. A melhor amiga é aquela pessoa com quem podemos ser nós próprias, sabemos ser aceites sem julgamento e partilhamos um mundo só nosso onde as outras pessoas (mesmo os maridos) não entram.

Thelma e Louise agora em plena dinâmica do arquétipo 7 agem como casal: são diferentes mas cooperam, constroem o seu mundo com regras próprias. Falam das suas fragilidades, dos seus traumas. Ficamos a saber que Louise foi vitima de uma violação muito traumática no Texas e por isso não quer passar por lá. Ir do Arkansas para o México sem passar pelo Texas, é como ir de França para a Polónia sem passar pela Alemanha. Thelma apesar de achar essa decisão um contra-senso aceita-a. Enquanto percorrem o magestoso Monument Valley sonham com a sua vida futura no México: viver numa hacienda  e trabalhar no Club Med. Estão em sintonia, sentem-se vivas “I feel awake, I don’t remember feeling this awake”  e num gesto de bravado vingam-se dos homens primários, ordinários e obscenos na pessoa de um motorista de um camião de gasolina deitando fogo ao dito camião.

Entretanto o FBI aplica cegamente a lei e lança uma enorme perseguição policial, apesar dos protestos do chefe da investigação, interpretado por Harvey Keitel. Ele sabe que há motivos que levaram as duas mulheres a cometer as infracções nos vários estados por onde passaram e que se prendem com as circunstâncias da violação de grupo de que Louise foi alvo e com o roubo do dinheiro delas.

Estamos no arquétipo 8 com todos os seus elementos incluindo poder e morte. Thelma e Louise são fugitivas com dezenas de carros da polícia na sua alçada. A 100 metros do dramático Grande Canyon agentes armados até aos dentes apontam a suas espingardas contra as duas mulheres que inicialmente só queriam escapar durante um fim-de-semana. Elas estão perante uma terrível decisão: render-se e passar o resto das suas vidas na prisão porque não acreditam na possibilidade de justiça dum mundo machista ou seguir em frente em direção à ravina.

Thelma: Let’s not get caught, let’s keep going.

Louise: Are your sure?

Thelma: Go!

O momento é de profunda partilha emocional selado com o único contacto físico intimo entre elas, um beijo. Dão as mãos e Louise carrega no acelerador lançando o Thunderbird em voo sobre o canyon.

ultima cena

 

Conclusão  

A maior parte das relações exclusivas entre duas pessoas sejam elas casais heterossexuais, homossexuais ou grandes amizades seguem o percurso dos 4 signos sociais – começam de uma forma solar, divertida ou romântica no signo de Leão. Uma vez as férias terminadas, entram no mundo Virgem, vêem-se confrontadas com as realidades terrenas, com os problemas que surgem na vida quotidiana e aprendem a resolvê-los (na maioria dos casos sem matar ninguém). Criam laços fortes e exclusivos em Balança porque se compreendem, se entre ajudam e apesar de manterem o seu espaço próprio crescem juntos. Em Escorpião unem realmente os seus destinos, os seus bens através de um regime de propriedade comum, os seus corpos através da entrega total orgásmica. O resultado é um compromisso profundo e duradouro capaz de juntos enfrentar e ultrapassar crises. Daí a frase que se pronuncia na cerimonia de casamento “até que a morte os separe”. As duas amigas no decurso deste road movie passaram por todas as etapas dos signos sociais e apesar de não vermos o Thunderbird arder despedaçado no fundo da ravina, Thelma e Louise escolheram para a continuação da sua amizade uma versão ainda mais escorpiónica …  “até que a morte as una”.

 

 

 

 

No comments on ‘Thelma & Louise – O percurso dos signos sociais’

Leave a Reply